Pesquisas

Insight Samba: descubra como as empresas produzem e divulgam vídeos

Insights da pesquisa da Samba Tech

Aqui na Rock Content estamos explorando o mercado de vídeos cada vez mais. Este mercado aliado ao Marketing de Conteúdo gera mais engajamento, autoridade e aumenta o tempo do visitante na sua página e o relacionamento deste com a sua marca.

Segundo uma pesquisa da Accenture, o Brasil é o segundo país do mundo com maior número de visualizações de vídeos por pessoa. São mais de 11 bilhões de visualizações por mês. O relatório aponta que mais de 96% dos usuários de internet no Brasil assistem a conteúdos em vídeo.

Além disso, o conteúdo em vídeo gera mais comodidade para consumi-lo nos mais diversos formatos e dispositivos.

As redes sociais, por exemplo, são um dos grandes exemplos de canais de sucesso que exploram a utilização de vídeos na internet.

O Instagram, que nasceu com a proposta de compartilhamento de fotos, insere novas features de vídeos a cada dia, como por exemplo, a atual possibilidade de fazer transmissões ao vivo pelo próprio aplicativo. Já o Facebook incorporou a feature de stories para os usuários.

A facilidade de acompanhar a sua marca preferida ou algum digital influencer aumenta a aproximação com a marca e, consequentemente, as vendas.

Essa é a nossa atual realidade Mundial.

Nesse post vamos mostrar dados da pesquisa “Insight Samba: Como pessoas e empresas produzem e divulgam seus vídeos na internet?” da Samba Tech, empresa líder na América Latina em soluções para Vídeos Online.

Confira o panorama do mercado de produção e distribuição de vídeos no Brasil.

1. Profissionais X Amadores

A pesquisa Insight Samba contou com participantes de todas as faixas etárias, sendo 45% representados por pessoas de 25 a 34 anos.

Idade dos participantes

Os participantes foram divididos em dois grupos: os que produzem (48,7%) e os que não produzem vídeos. Entre os participantes que declararam não produzir vídeos, 86,3% dizem ter interesse em começar a produzir.

Dos participantes que afirmaram produzir vídeos, 83,3% se consideram amadores ou estão somente começando a produção audiovisual e 16,7% se consideram profissionais com conhecimentos avançados.

Um fato interessante é que dos participantes que se consideram amadores, 72,2% produzem vídeos para fins profissionais. O que mostra que mesmo sem as técnicas, o investimento neste mercado é presente.

A pesquisa questionou também há quanto tempo as pessoas produzem vídeos. Cerca de 66,9% declararam produzir há menos de 2 anos e 44,1% há menos de 1 ano.

Com essas estatísticas podemos ver como esta prática vem sendo explorada recentemente pelo mercado.

Além disso, muitas vezes o investimento em vídeos é visto como uma atividade paralela ao trabalho (49,1%), sendo que 23,3% consideram a produção de vídeos como um hobby.

2. A frequência de postagem

A frequência para a produção de conteúdo é um assunto que gera muitas dúvidas entre os produtores de vídeos.

De acordo com a pesquisa, 46% dos produtores publicam semanalmente, sendo que 24% publicam um ou dois vídeos por semana.

Já 23% dos participantes preferem publicar um novo vídeo por mês e 32% publicam novos vídeos a cada dois meses.

Na pesquisa também foi considerada a importância do tema do vídeo para a frequência de postagem.

No setor de educação, 35% declararam produzir um ou dois vídeos por semana.

Já no setor de notícias, a postagem é feita de 15 em 15 dias e, em outras áreas, a frequência de produção mais comum é a de um vídeo a cada dois meses.

Frequência de produção de conteúdo

O que realmente importa é a qualidade do conteúdo e não a sua frequência. É necessário considerar se a audiência acha o conteúdo relevante. Confira 06 maneiras simples e rápidas de produzir vídeos extremamente relevantes.

3. Ferramentas para edição dos vídeos

Editar videos exige conhecimento técnico e muitas vezes é considerado um pesadelo para muitas pessoas.

Porém, somente 17% dos produtores de vídeo declararam procurar ajuda de profissionais para a edição.

Mesmo que o uso destes programas seja considerado difícil, existem inúmeras ferramentas e aplicativos que facilitam a edição.

Na pesquisa da Samba Tech, 47% dos participantes afirmaram utilizar programas avançados de edição como o Sony Vegas, Premiere e Final Cut.

Por um outro lado, 36% utilizam programas mais simples como o Movie Maker e o iMovie. Confira o gráfico:

Formas de edição de vídeos

4. Quantidade de visualizações dos vídeos na internet

A oferta de vídeos está cada vez maior e um dos indicadores de sucesso mais importantes em uma estratégia desse formato de conteúdo é o número de visualizações.

Sem visualizações, não é possível atingir o sucesso e ganhar dinheiro ao fazer dos vídeos um negócio.

Esta é uma realidade enfrentada pela maioria dos participantes da pesquisa, pois cerca de 85% dos produtores não atingem a 1.000 visualizações por vídeo e 36% não chegam a registrar 100 visualizações.

Número de visualizações dos vídeos

De acordo com a pesquisa, o desafio de aumentar o número de visualizações é enfrentado por todas as áreas e somente 3% alcançam mais de 10.000 visualizações por vídeo.

5. Pontos importantes para a escolha da plataforma

Para escolher plataformas de hospedagem de vídeos, os produtores levam em consideração diversos fatores, pois essa decisão interfere em muitos pontos importantes da estratégia.

Cerca de 96% dos produtores fazem uso de plataformas responsivas. Os outros pontos considerados importantes entre eles na hora de escolher a plataforma de vídeos são:

  • Visibilidade;
  • Integração com outras plataformas;
  • Analytics e dados de consumo;
  • Preço;
  • Segurança;
  • Ferramentas de Marketing;
  • Suporte.

Veja esta relação no gráfico abaixo:

Plataforma de vídeos

De acordo com a pesquisa, 85% dos produtores usam plataformas gratuitas, como YouTube e Vimeo, para hospedar os seus vídeos. Já 15% fazem o uso de plataformas profissionais. Descubra 15 estratégias para promover vídeos no Youtube.

6. Conteúdos audiovisuais como fonte de receita

A tentativa de fazer dos conteúdos audiovisuais uma fonte de receita vem sendo muito comum hoje em dia, mas mesmo para quem tem grande audiência, ganhar dinheiro com seus conteúdos ainda é um desafio.

Isso se refletiu na pesquisa, 73% dos produtores de vídeos não têm retorno financeiro com seu conteúdo.

Dos produtores que ganham dinheiro, 17% fazem receita por meio da venda de conteúdo na internet, 11% por meio de inserção de anúncios em seus vídeos e apenas 7% por meio de licenciamento ou merchandising por terem conteúdo e audiência suficientes.

Apesar disso não ser considerado uma regra, inserir anúncios nos vídeos só costuma a ser rentável para quem tem grande audiência.

Poucos produtores conseguem ganhar dinheiro com merchandising e licenciamento já que é uma prática mais comum para quem tem grandes audiência.

Portanto, a melhor opção para ter retorno financeiro neste mercado é a venda de conteúdo (pontual ou assinatura).

7. Mídias para divulgação dos conteúdos

Obter sucesso na divulgação do conteúdo de vídeo na internet é um dos maiores desafios enfrentados.

Como vimos anteriormente, a visibilidade dos vídeos é o que os produtores consideram mais importante ao escolher uma plataforma de hospedagem, mas grande parte deles não conseguem alcançar 1.000 visualizações por conteúdo.

Portanto, muitos produtores utilizam plataformas gratuitas para investir em mídias pagas, já que não conseguem um bom alcance orgânico.

Uma parcela efetiva de 36% dos participantes da pesquisa afirmaram não ter um canal ou site para divulgar os vídeos.

Já para aqueles 59% que investem em mídias para divulgação, os canais mais utilizados são, respectivamente, Facebook, Email Marketing, Blog, Twitter e LinkedIn.

Mídias para divulgação

Confira dicas para usar vídeos de forma efetiva em cada rede social.

8. Como os produtores de vídeo se mantêm informados

No mundo digital as atualizações ocorrem com frequência e ferramentas surgem e perdem a utilidade muito rápido. Para acompanhar essas novidades é importante procurar se manter sempre informado.

De acordo com a pesquisa as formas que os produtores de vídeo mais utilizam para se manterem atualizados são assistir vídeos de outros produtores, ler artigos e e-books, participar de fóruns especializados e frequentar cursos esporádicos.

Como o mercado se atualiza

É necessário pensar no vídeo como uma oportunidade de negócio e para mostrar estes resultados, separamos 20 dados e previsões sobre este mercado em 2017.

Com estas estatísticas você vai ver como utilizar vídeos na sua estratégia de Marketing pode ser um investimento muito efetivo.

Conclusão

Como vimos neste post, o conteúdo em vídeo pode ser feito por produtores profissionais e amadores.

Os vídeos já são o formato de material preferido de muitas pessoas, por isso investir nesta estratégia de Marketing é tão promissor.

De acordo com uma pesquisa científica da 3M, já é um fato comprovado que o cérebro humano processa 60 mil vezes mais rápido os estímulos visuais do que os textuais.

Além disso, os vídeos podem se adaptar para diversos assuntos e podem explorar diversos públicos. Consumidores de vídeos não possuem idade precisa ou classes sociais.

Para saber mais, não deixe de conferir a pesquisa inteira e  conheça os outros insights que a Samba Tech apresentou sobre o panorama do mercado de produção e distribuição de vídeos no Brasil.

Publicações relacionadas
Pesquisas

Content Trends 2019: os principais resultados da maior pesquisa de Marketing de Conteúdo do país

Pesquisas

Social Media Trends 2019: panorama das empresas e dos usuários nas redes sociais

Pesquisas

Como preparar a sua agência para o próximo ano por meio de dados?

Pesquisas

E-commerce Trends 2018: dados estratégicos para lojas virtuais