Entrevistas

Liderança em tecnologia: habilidades e comportamentos que um líder deve ter para obter sucesso nessa área

Liderança em tecnologia

Este conteúdo foi produzido pela revista HSM Management

O mercado da tecnologia é, atualmente, um dos mais profícuos do Brasil quando falamos em oportunidades de emprego e crescimento profissional. Ao contrário de outras profissões em baixa no atual cenário nacional, a procura e valorização de especialistas da área tecnológica, como cientistas de dados, desenvolvedores e programadores aumentou exponencialmente nos últimos anos.

Naturalmente, uma das principais formas de o profissional de tecnologia se destacar ainda mais neste mercado já em alta é alcançando um cargo de liderança. Ao alcançar este patamar, contudo, muitas vezes surgem importantes desafios ao profissional. Como ser um líder, e não apenas um chefe? Quais predicados são necessários para se destacar neste papel?

A fim de encontrar respostas para essas e mais dúvidas, a Revista HSM Management entrevistou Renzo Ziegler, data leader da Vitta, empresa de tecnologia aplicada à saúde. Renzo exerce papeis de liderança em companhias de tecnologia há vários anos e compartilhou conosco seu conhecimento e experiência como líder nesta área.

Quer entender o que é necessário para ser realmente uma liderança no setor de tecnologia? Então leia este artigo!

O mercado de tecnologia é bem específico e tem diversas peculiaridades. Pensando nisso, quais habilidades um profissional deve reunir ou desenvolver para se tornar um líder de sucesso nessa área?

Um líder de sucesso indubitavelmente deve ser participativo. Ele deve estar o máximo de tempo possível junto à equipe, e sua principal atribuição deve ser incentivar o estudo e a busca por inovação. Ele deve fomentar o debate de ideias, porque com a constante evolução surgem todos os dias formas mais baratas, performáticas e eficientes de se resolver os mesmos problemas, e só uma equipe motivada e incentivada pelo seu líder tem a energia e a velocidade para se buscar e aplicar novas ferramentas e técnicas, sem apego ao que já foi feito e desenvolvido. Um bom líder deve focar na formação e na carreira de seu time, compartilhando seus conhecimentos e incentivando que cada um tenha suas próprias experiências.

Em relação a comportamentos, quais são desejáveis que um bom líder no mercado de tecnologia tenha? E quais podem prejudicar a imagem de líder?

Deve se reconhecer que cada pessoa tem um perfil diferente. Um bom líder deve usar a empatia e a escuta ativa para conseguir identificar o perfil de cada um, e ser versátil para aplicar um estilo de liderança diferente, em função do perfil de cada membro do time. Isso faz com que cada colaborador sinta-se pertencente ao time e aumente seu engajamento. Um chefe distante, que gerencia por e-mail, que não ouve o time e que só se preocupa com as entregas ao fim de cada projeto, não só prejudica sua imagem mas também derruba a produtividade do time.

Você considera que um bom líder na área de tecnologia deve se destacar mais pelo conhecimento técnico ou pela gestão de pessoas?

Um bom líder deve ter a admiração e o respeito de seu time, para que o reconheça como alguém confiável e digno de ser seguido. Por isso, ter conhecimento e a experiência na área técnica são essenciais no papel mais importante de um líder, que é ajudar e orientar a formação dos membros da equipe. Porém, um bom líder na área de tecnologia é, além de um grande técnico, alguém que tem aptidão, interesse e consegue desenvolver competências de gestão, indo além da formação técnica.

Quais são os maiores desafios que um líder no setor de tecnologia enfrenta em seu dia a dia?

É frequente que os líderes da área de tecnologia tenham um background técnico. O maior desafio ao assumir uma posição de liderança é reconhecer a importância de seu papel, é deixar de estar à frente da parte técnica e de colocar a mão na massa a cada entrega. É essencial reconhecer que a entrega de seu time de liderados é maior e mais importante que sua entrega como um profissional que veio da área técnica, por isso deve-se dar maior atenção à formação e orientação do time.

Pela sua experiência na área, você considera que o perfil de líder no setor tecnológico tem evoluído nos últimos anos? Se sim, o que mudou/tem mudado?

Sim, há alguns anos havia um distanciamento entre equipe e líder (talvez chefe seja melhor do que líder neste caso), quando ele era responsável por “tocar o tambor” e garantir o ritmo das entregas e da resolução dos problemas. Hoje o líder é mais presente, derrubando quaisquer obstáculos que porventura existam entre ele e o time, participando da equipe e dando mais valor à formação e à carreira de cada um de seus colaboradores.

Trazendo para o nosso contexto, você considera que há diferenças entre o perfil de líder buscado no mercado brasileiro, em relação ao mercado estrangeiro (em especial o norte-americano e o europeu)?

Fora do país, principalmente nos EUA e na Europa, a carreira técnica é mais longa — você consegue ver pessoas atuando na área técnica durante toda a sua carreira, até a aposentadoria, em constante evolução e promoção. Já no Brasil, o teto da carreira técnica é mais baixo. Isso faz com que todos os profissionais, após certo ponto da carreira, só consigam evoluir e continuar crescendo se forem para a área de gestão, abandonando o trabalho técnico.

Com isso, acabamos por ter vários profissionais como líderes e gestores sem aptidão ou formação para tal, e as empresas que promovem esses movimentos acabam perdendo dois profissionais de uma vez: abrem mão de um grande técnico e adquirem um péssimo líder. Somente uma valorização maior da carreira e das posições técnicas minimizaria este impacto. Isso começou a ocorrer no Brasil, com algumas posições, mas o movimento ainda é lento.

Há alguma trajetória profissional “ideal” que o profissional do mercado de tecnologia deve fazer para se tornar líder nesta área?

Não há uma trajetória ideal, mas há fases e desafios pelas quais deve se passar, para que o profissional possa despontar como um potencial líder. Antes de ser uma posição, um cargo, a liderança pode ser exercida em diversas oportunidades, seja num projeto numa área que você tenha bastante experiência, seja na chegada de um profissional mais júnior na sua equipe, seja sendo gestor de si mesmo.

Tornar-se um líder envolve não só aptidão, mas também bastante prática e estudo. Aproveitar cada oportunidade para praticar a liderança, fazer uma reflexão sobre seu comportamento e sua postura nestas oportunidades, pedir feedback aos colegas e buscar um mentor são atividades que ajudam nesta trajetória.

Se você pudesse dar três conselhos/dicas que considera fundamentais para quem deseja ocupar um cargo de liderança dentro do mercado de tecnologia, quais seriam eles?

O primeiro passo para se tornar um líder é conseguir ser líder de si mesmo. Pratique e reflita bastante para melhorar a própria gestão de seu tempo, de suas tarefas. Em segundo lugar, um bom líder deve ter a admiração e o respeito de seu time. Então, busque ser um profissional cada vez melhor, procure estudar e se desenvolver para conquistar a admiração de seus colegas e, quando assumir um cargo de liderança, ter a confiança e a autoridade de quem já tem experiência nas competências que irá exigir e orientar o time. E finalmente, liderança é muito prática.

Além de estudar, é importante conhecer e conversar com outros líderes, que você admira e que já trilharam este caminho. Participe de meetups, encontros sobre o assunto e busque um mentor, que pode ajudá-lo nesta jornada.

Após essa ótima conversa com Renzo Ziegler, temos certeza de que você está mais preparado para ocupar um cargo de liderança na área da tecnologia. Quer acessar mais conteúdos aprofundados e práticos sobre carreira, gestão e negócios? Então leia o blog da Revista HSM Management e se diferencie no mercado!

Publicações relacionadas
Entrevistas

Por que é hora de mudar nossa mentalidade de marketing digital

EntrevistasEscolhas do Editor

Softline investe em Inbound para reposicionamento no mercado brasileiro de TI

EntrevistasEscolhas do Editor

Aliar educação financeira e tecnologia para democratizar investimentos: fundador da Toro analisa estratégia da fintech

ArtigosEntrevistas

Como novas regras de telemedicina afetarão relação entre instituições de saúde e pacientes