Pesquisas

Entrevista com Angélica Reis: conheça a pesquisa que trouxe resultados incríveis para a Samba Tech

insight samba

A Samba Tech é Líder na América Latina em soluções de Vídeos Online.

Além de ser considerada uma das empresas mais inovadoras de 2017 pelo Alchemist Global Top 250 Private Company Competition, a Samba Tech já recebeu vários prêmios de reconhecimento pelo seu trabalho.

É importante mencionar como o produto oferecido por essa empresa é tão necessário e atual. Assim como outras tendências de marketing digital, esse é um mercado que está crescendo exponencialmente.

Segundo o relatório da Insight Samba, divulgado em 2017. 48,7% das empresas produzem vídeos e, entre os participantes que não exercem essa estratégia, 86,3% dizem ter interesse em começar a exercê-la.

Por isso, a Samba oferece dois produtos:

  • Sambaplay: plataforma para qualquer produtor de conteúdo ou empresa que queria ganhar dinheiro com a venda dos seus vídeos na internet por meio de um canal personalizado (OTT), sem precisar de um desenvolvedor;
  • Sambavídeos: plataforma para gestão e distribuição de vídeos com inteligência, segurança, escalabilidade e qualidade de streaming.

Além disso, a Samba Tech está procurando sempre desenvolver novas estratégias. A empresa, que realizou no ano passado sua primeira edição do evento Connect Samba em São Paulo, resolveu investir em uma nova forma de gerar resultados incríveis: a pesquisa.

Portanto, decidimos entrevistar a Angélica Reis, coordenadora de conteúdo da Samba Tech, para nos contar sobre seus resultados com o desenvolvimento da pesquisa “Insight Samba: Como pessoas e empresas produzem e divulgam seus vídeos na internet?”. Confira!

Por que a Samba decidiu investir na estratégia de pesquisa?

Angélica Reis: Fazer uma pesquisa sempre foi um sonho para nós, porque é um material extremamente relevante e que permite a coleta de opiniões. Nunca havíamos produzido um projeto assim antes, por isso foi inovador.

Com ele conseguimos diversificar o tipo de conteúdo que produzimos, além de artigos, ebooks e infográficos.

E por ser um material qualificado foi possível entender o cenário dos produtores de conteúdo — desmistificando o que achamos que era pauta do mercado —  e perguntar para o nosso público o que eles realmente acham e quais são as suas reais dificuldades.

Às vezes, pensamos que tudo funciona de uma forma, mas as pessoas que estão produzindo conteúdo podem ter uma opinião completamente diferente.

Por fim, a ideia principal foi entender as motivações, dificuldades e, principalmente, como é o mercado na visão dos produtores de conteúdo.

Depois que fizemos a pesquisa, conseguimos dar mais credibilidade para os conteúdos que escrevemos por meio de base estatística e ter insights muito valiosos do que precisavam ser mais abordados no blog da Samba.

Quais as estratégias usadas para divulgação?

Angélica Reis: dividimos a divulgação em dois momentos.

Primeiro divulgamos o questionário, no qual ocorreu a coleta de respostas, depois o relatório com a pesquisa pronta.

Tanto para coletar as informações, quanto para divulgar o relatório, utilizamos muito a nossa base de email, porque como praticamos o inbound marketing, a nossa base é muito voltada para produtores de conteúdo e pessoas que têm interesse em produzir vídeos.

Para estimular a participação das pessoas na coleta de informações do questionário, nós oferecemos um prêmio que pudesse de fato ajudar os produtores de vídeo em seu trabalho. Então, pensamos o seguinte “quem produz vídeo, geralmente, também preocupa com o áudio”.

Seguindo esse pensamento oferecemos o sorteio de um fone de ouvido que ia ajudar a pessoa a ouvir melhor os vídeos, até mesmo para gerar mais interesse na persona que queríamos atingir.

Além disso, conseguimos o apoio de vários parceiros, como O Mundo do Marketing, MeuSucesso.com, StartSe, Smartalk e até a própria Rock Content, que nos ajudaram a divulgar o questionário e o relatório.

Por fim, também fizemos anúncios no Facebook para atingir as pessoas que eram o nosso target. Nesse canal usamos duas estratégias:

  • criamos segmentações no Facebook Audience Insights com produtores de conteúdo;
  • exportamos os emails fornecidos pelas pessoas que responderam a pesquisa e subimos para o Facebook fazendo segmentações semelhantes.

Quais os resultados dessa estratégia?

Geração de leads

Angélica Reis: Um dos resultados excelentes que tivemos, foi com certeza, a geração de leads.

Hoje, poucas empresas fazem pesquisas relacionadas a esse tema no Brasil e as que fazem são empresas estrangeiras. Então, foi a primeira vez que ocorreu uma iniciativa de uma empresa brasileira de fazer uma pesquisa sobre o mercado de vídeos.

Esse fato chamou muita atenção e, com isso, conseguimos um número muito bom em termos de geração de leads e MQLs.

Também conseguimos isso, pois logo depois que a pessoa respondia a pesquisa, ela era convidada a fazer um tour pela nossa plataforma de vídeos. Com isso mais de 20% das pessoas que converteram no material, fizeram um tour pela plataforma.

Argumentação e ranqueamento

Angélica Reis: Um outro resultado muito bom foi em termos de discurso. Esses números que conseguimos coletar com a pesquisa são usados para muitos fins, como materiais, artigos para blog e sales enablement.

Quando escrevemos um artigo, por exemplo, podemos dar credibilidade ao que está sendo argumentado por meio dos dados que descobrimos. Isso é excelente!

Além disso, a partir das respostas que tivemos, conseguimos identificar assuntos que eram dificuldades para os produtores de vídeo e fazer outros materiais que os ajudam.

E em termos de ranqueamento, conseguimos saber algumas palavras-chaves que precisavam ser melhor abordadas, ou que tinham grandes oportunidades de serem ranqueadas.

Evento

Angélica Reis: O evento Connect Samba, foi um fator que a pesquisa também ajudou muito.

Com as informações coletadas, conseguimos saber o tipo de palestrante que nosso público gostaria de ver, quais as maiores dúvidas, quais os tipos de assunto poderiam ser abordados e o que as pessoas querem saber.

Portanto, o resultado em termos de base e argumentação, foi excelente, não só pro marketing, como também para vendas e realização do evento. Foi sensacional.

Por fim, posso dizer que as nossas expectativas ao fazer pesquisa foram superadas em todas as áreas.

Quais foram os principais desafios?

Angélica Reis: O primeiro desafio foi achar o software que nos daria suporte para a criação do questionário. Fizemos alguns testes com várias ferramentas — algumas delas eram pagas — e decidimos fazer pelo Google Forms que nos atendeu muito bem.

No entanto, foi a nossa primeira pesquisa. Na próxima, com certeza vamos fazer um questionário um pouco diferente e os desafios teriam sido menores.

Um outra dificuldade que tivemos foi fazer a análise de dados e tirar conclusões pertinentes sobre eles. São muitas informações coletadas e precisamos saber quais precisam ser evidenciadas no relatório.

Além disso, nesse aspecto, não basta somente coletar dados. É necessário relacioná-los e se perguntar: o que aquele dado realmente quer dizer e qual é o insight que ele pode trazer?

Quais foram os aprendizados?

Angélica Reis: Não foram somente aprendizados, mas grandes quebras de tabus.

Descobrimos coisas que achávamos que era uma dificuldade para os produtores de conteúdo, e que na verdade não era. E coisas que nem imaginávamos que era dificuldade, eram. Então, foi um aprendizado do início ao fim.

Eu, que estava diretamente envolvida, tive grandes aprendizados profissionais, além dessa questão de aprender mais sobre o mercado de vídeos.

Com esse projeto aprendi como fazer uma pesquisa completa. Aprendi a criar questionário, selecionar quais tipos de perguntas que devem ter e, principalmente, analisar dados por meio de planilhas com inúmeras informações e fórmulas.

Portanto, esse foi um processo de extremo aprendizado, para mim e para a Samba como um todo, que teve uma grande oportunidade de aprender mais sobre esse mercado de quem realmente está fazendo tudo na prática.

Fazer uma pesquisa, não é fazer mais um ebook — não que eles não sejam importantes. É informação. É um material riquíssimo, que mostra por completo a realidade de quem está ali com a mão na massa. Isso é sensacional!

Ouvimos mais de 2 mil pessoas nessa pesquisa e foi um grande aprendizado. Um verdadeiro raios x do mercado.

Dica do especialista

Angélica Reis: Uma dica para pesquisas bem importante que eu posso dar é: tenha foco e saiba qual é o seu principal objetivo.

Quando pensamos em vídeo, poderíamos pesquisar várias coisas para entender os nuances desse mercado, como por exemplo, quais tipos de conteúdos são os mais assistidos.

Só que tínhamos um objetivo e ele era entender melhor a realidade dos produtores de

conteúdo. Abordando questões como: qual a situação desse mercado? Como os produtores estão produzindo seus vídeos? Como eles divulgam seus conteúdos?

Portanto, como tínhamos um objetivo muito claro, foi mais fácil de fazer o questionário e a análise dos dados depois. Temos que nos preocupar quando queremos fazer algo muito genérico, que casa em várias situações. Nesse caso, você pode acabar se perdendo.

Gostou das dicas da Angélica? Confira por que a Rock Content faz pesquisa e como você pode aplicar essa estratégia na sua empresa.

Publicações relacionadas
ArtigosPesquisas

Pesquisa do Olist faz um panorama do setor de marketplaces e mostra tendências e oportunidades

ArtigosPesquisas

O que disse o cenário de tendências de conteúdo em 2019

Pesquisas

EQI: pesquisa inédita no país mostra a qualidade do e-commerce brasileiro

Pesquisas

7 frameworks de marketing de conteúdo para conduzir tráfego, melhorar SEO e construir comunidade