Notícia

Microsoft testou trabalhar 4 dias por semana e a produtividade aumentou 40%

Microsoft diminui dias trabalhados na semana e aumenta produtividade

Um experimento que envolveu reduzir um dia na semana de trabalho levou a um crescimento de 40% em produtividade em uma subsidiária japonesa da Microsoft, anunciou a gigante tecnológica na semana passada.

O teste foi parte do Work-Life Choice Challenge, um projeto de verão que analisou o equilíbrio entre trabalho e vida social e tinha o objetivo de aumentar a criatividade e a produtividade ao proporcionar para os funcionários mais flexibilidade nas horas de trabalho.

A Microsoft do Japão fechou os escritórios todas as sextas-feiras de agosto e descobriu que a produtividade dos trabalhadores aumentou em 39,9% se comparada com o mesmo mês de 2018, disse a companhia. Os funcionários full time receberam normalmente durante as horas não trabalhadas.

A empresa disse que também reduziu o tempo gasto em reuniões implementando um limite de 30 minutos por encontro e encorajando a comunicação remota.

Leia também
Funcionários de grandes empresas esperam encontrar equilíbrio entre vida social e trabalho

O futuro do trabalho: as tendências das novas relações entre empresa e empregado

A Microsoft não é a primeira a destacar os benefícios de produtividade ao trabalhar 4 dias na semana. De acordo com a CNBC, Andrew Barnes, fundador da Perpetual Garden, uma firma de planejamento imobiliário da Nova Zelândia, disse que conduziu um experimento similar e descobriu que isso beneficiava tanto o funcionário quanto à companhia. A empresa adotou a semana de 4 dias trabalhados permanentemente.

Estudos descobriram que há demanda para uma semana menor de trabalho. Ano passado, em um estudo do Workforce Institute at Kronos e da Future Workplace, feito com quase 3 mil trabalhadores em oito países, a maioria disse que a semana ideal seria com quatro dias ou menos de expediente.

Não são só os funcionários que se beneficiaram do experimento da Microsoft de trabalhar por quatro dias – a empresa descobriu que isso também ajudou a poupar eletricidade e outros recursos de escritório. O número de páginas impressas caiu em 58,7%, enquanto o consumo de eletricidade diminuiu 23,1% se comparado a agosto de 2018, relatou a companhia.

Este conteúdo é uma tradução e adaptação do texto originalmente produzido pela Business Insider.

Publicações relacionadas
Notícia

Banco Goldman Sachs não vai ajudar empresas a abrir capital a não ser que elas “tenham ao menos um candidato diverso para seu conselho”, diz CEO

Notícia

Mais consumidores estadunidenses estão preferindo usar planos de pagamento digital no lugar de cartões de crédito, até para itens baratos

Notícia

Leilão do 5G no Brasil não acontecerá em 2020

Notícia

Última aposta da Intel em Inteligência Artificial é uma negociação de U$ 2 bilhões vinda de Israel