Artigos

O programa de Stock Options da Rock Content: da ideia à criação

Stock Options Holders Rock Content

Stock Options são duas palavras que o mundo lá fora adora. Um conceito muito conhecido no Vale do Silício, onde a ideia já não é mais novidade. Recompensar o time, oferecer ganhos maiores para os colaboradores, atrair novos talentos por meio de opções de ações, essas são algumas das vantagens que a as empresas que seguem o conceito buscam. Tudo isso encanta, mas ainda espanta. Poucas são as empresas e startups brasileiras que mergulham no assunto, que segue ainda tímido no mercado nacional. Isso vai mudar!  

Desde seu início, a Rock Content se inspirou nas principais startups do Vale do Silício para construir o seu próprio programa de Stock Options, realidade que foi tomando forma há algum tempo. Agora a gente quer contar como foi essa experiência, como tem sido e como será. Um programa inspirado nos grandes players do EUA, que busca ser uma força positiva para o mercado nacional.

Queremos contar tudo, mas antes comecemos pelo básico: o que são Stock Options?

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Stock Options, vamos definir

Um programa de Stock Options é um programa de incentivo, atração e retenção de talentos baseado em ações e funciona da seguinte forma: a empresa oferece o direito de compra de suas ações a um determinado preço fixo e potencialmente lucrativo para seus executivos e colaboradores.

É uma forma de levar a cultura de dono para a equipe. Caso a empresa siga crescendo e aumente seu valor, isso gera uma oportunidade de ganhos financeiros para seus colaboradores — a opção de compra de ações da empresa dá direito ao colaborador de ter ganhos financeiros devido justamente ao impacto do seu trabalho no crescimento da empresa.

Em outras palavras, é como se a empresa congelasse o valor de suas ações a um preço igual ou inferior ao preço avaliado no mercado e, com a sua valorização, o stock option holder (aquele colaborador que tem esse direito de opção) pode então optar por exercer o direito de comprar as ações e também de vendê-las a um preço mais alto no futuro.

Tudo isso para dizer que é uma forma de fazer dinheiro com risco baixo, uma vez que se o stock option holder observar que as ações não estão se valorizando, basta simplesmente não exercer a opção de compra. A gente ressalta: uma opção de compra de ação é um direito, não um dever. Daí o risco ser baixo, ou quase nulo.

Estes programas, muito adotados no Vale do Silício, são uma ótima estratégia para reter talentos, atraí-los, demonstrar reconhecimento por parte das empresas e recompensar financeiramente os membros-chave da equipe.

Stock Options são, na prática, uma ferramenta para multiplicar o sentimento de dono para os membros da empresa, uma característica que podemos ver naquelas de mais sucesso. É também uma forma de pensar o negócio a longo prazo e estimular seus talentos para que assim o façam também. Faz parte do pensamento ganha/ganha: se a empresa se valoriza, todos saem ganhando. Com quem aprendemos isso? Com empresas como Facebook, Uber, Salesforce e outras que seguem este modelo, que acreditamos muito aqui na Rock.

Um programa para valorizar o trabalho de quem ajuda a construir a Rock

“O colaborador que se torna um stock option holder tem um grande potencial de ganhos financeiros quando a empresa cresce e se valoriza”, conta Diego Gomes, nosso CEO na Rock Content. “Se o valor de mercado da Rock cresce, o valor das opções dele crescerá na mesma proporção. Isso faz com que nossa equipe se sinta e tome decisões como donos da empresa. Se a empresa cresce, todos ganham e o programa faz com que as pessoas se perguntem o tempo todo: essa atividade que estou realizando vai ajudar a valorizar a empresa no longo prazo?”, explica.

A prática de distribuir um valor significativo de opções de ações da empresa para os funcionários é um diferencial do Vale do Silício que inspira a Rock a seguir com seu plano. Cinquenta anos atrás, antes de empresas como a Fairchild Semiconductors e a Hewlett-Packard darem início à prática, a distribuição de opções de ações para qualquer outra pessoa além da alta administração era praticamente inexistente.

Com a mudança de mindset, o estímulo ao trabalho e à construção da empresa não fica restrito exclusivamente aos executivos e à administração da companhia. Todos se sentem realmente parte do negócio. Daí é possível criar uma cultura corporativa focada na geração de oportunidades de crescimento e no longo prazo. O ambiente ideal para criação e consolidação de boas ideias.

Empresas que apostam em modelos similares largam na frente quando se ligam nisso: suas cabeças pensantes valem ouro e é preciso recompensá-las. Seguir com os moldes corporativos tradicionais não faz sentido se o objetivo é crescer no século XXI entre os melhores. Pessoas ganhando fazem a empresa ganhar.

O nascimento do Stock Options Plan da Rock

A Rock ainda é uma empresa de capital fechado. Porém, sempre interessada em atrair, reter e alinhar interesses entre sua equipe e os objetivos da empresa, ela criou seu próprio programa de opções de ações para funcionários ou ESOP (Employee Stock Options Plan). Nele, o stock option holder pode vender as ações para outros investidores enquanto a Rock for de capital fechado.

No futuro, quando a empresa abrir seu capital em uma bolsa de valores fazendo um IPO (Initial Public Offering) ou se for vendida para outra empresa, os membros do ESOP terão a oportunidade de ter ganhos de capital, junto aos demais sócios, baseados no aumento do preço da ação.  

A Rock Content iniciou seu programa de Stock Options quando trouxe seu primeiro sócio externo, o americano Matt Doyon. Em 2013 a Rock criou seu primeiro ESOP, mas a empresa sentia que o esforço merecia ganhar mais escala. Por isso, em 2018, ela expandiu a ideia, alocando 11% das ações da empresa para serem distribuídas para pessoas-chave na trajetória da empresa.

Para criar o ESOP da Rock, os fundadores da empresa estudaram a fundo cases brasileiros como o da MRV e da Magnetis e também os modelos adotados no Vale do Silício, analisando em detalhes os esforços na área realizados por empresas como Salesforce, Zendesk e várias outras.

“Sempre fomos inspirados pelos grandes cases do Vale e ficamos felizes ao ver que também já começam a surgir casos de sucesso locais, como a venda da 99taxis por mais de $1b, que gerou dezenas de colaboradores milionários no Brasil”, relata Diego Gomes. “Desde o day zero da Rock, tínhamos a intenção de ter o employee stock pool e, depois de trazer o primeiro sócio investidor, formalizamos a primeira turma, que contou com cerca de uma dezena de colaboradores”, detalha.

Os fundadores, junto com a responsável pelo ESOP da Rock, Marina Mascarenhas, criaram o programa de Stock Options e apresentaram para toda a equipe da Rock a possibilidade de fazer parte do programa, iniciando os convites pelos membros da equipe com mais tempo de casa. Cada interessado deveria preencher um formulário curto, com três perguntas:

  • Como você impactou e impacta a Rock?
  • Como você pratica a cultura da Rock no dia a dia?
  • Por que você merece fazer parte dos nossos Stock Option Holders? Cite três motivos.

A apresentação do programa, os detalhes, o tira-dúvidas e todas as questões centrais do Stock Options Plan da Rock Content ficaram por conta de Marina Mascarenhas, uma figura jovem e extremamente curiosa e responsável entre nós, que abraçou a causa e hoje conta com graça sobre a experiência. Foram inúmeras aulas internas, documentos e simuladores criados no RockHub, nossa Intranet, buscando sempre educar a equipe de Rockers para se informarem sobre o programa.

Um passo para uma pessoa e um salto para uma empresa

“Quando o Diego me pediu ajuda para assumir o programa de Stock Options para a Rock Content, o termo ainda era muito abstrato para mim”, recorda Marina Mascarenhas, que entrou na Rock como estagiária de vendas e hoje é nossa Gerente de Desenvolvimento Organizacional.

Ao se formar em Administração, Marina foi contratada e rapidamente assumiu a área de operações estratégicas da empresa. “O meu trabalho sempre foi voltado para análise e aplicação de dados no dia a dia da empresa. Sempre tive facilidade com isso, mas analisar dados para termos insights relevantes sobre a estratégia da Rock foi uma especialidade que assumi aqui”.

As oportunidades viraram responsabilidades novas. “Foi então que no dia 16 de outubro de 2018 o Diego (CEO da Rock) me pediu ajuda para uma estruturação do nosso novo programa de Stock Options” e eu pensei “o que é isso mesmo?”, ela ri. Gostar de desafios é o nosso diferencial! E Marina não poderia ser diferente. Ela respirou fundo e topou a ideia.

Foram semanas intensas. Marina buscou aprender sobre o assunto em todos os lugares que conseguiu. “A maioria do material sobre Stock Options estava em inglês, espalhado pela internet e eu ia juntando tudo num documento, decifrando cada parte”. Além disso, ela fez muitos benchmarks e recorreu a muita gente que se dispôs a falar mais sobre o tema.

Todo plano perfeito precisa de uma boa conversa! “Durante semanas eu conversei com empresários que já passaram pela experiência na prática e também recebi suporte da área jurídica da Rock, então, aos poucos as coisas foram tomando forma”, conta.

Daquele documento inicial foi nascendo o novo Stock Options Plan da Rock. O processo foi acompanhado de perto pelo nosso CEO. “Eu comecei o projeto analisando e entendendo modelos adotados por outras empresas. Então criei junto com o Diego, uma estrutura geral das nossas necessidades e começamos a trabalhar com os membros do conselho da Rock, sócios e advogados para colocar o projeto para rodar”, relembra.

O objetivo do programa era claro: em primeiríssimo lugar, dar a possibilidade das pessoas-chave da empresa terem ganhos futuros com a valorização da Rock, dado que a empresa tem crescido de forma acelerada, pois em apenas 6 anos, a empresa saiu de 3 fundadores para quase 400 colaboradores.

Afinal, para as pessoas que fizeram parte, ajudaram a construir a empresa, nada mais justo que uma possibilidade de ter ganhos extras, além da sua remuneração, com o crescimento da Rock.

Foram cerca de quinze páginas de conteúdo educativo no projeto inicial. “Como esse assunto ainda é muito novo no Brasil, uma coisa que nosso CEO pediu, desde o início, é que criássemos uma seção de perguntas e respostas”, explica Marina, “mandei um formulário para os gerentes, heads e supervisores, onde eles poderiam compilar todas as dúvidas, e a partir disso, aquelas dúvidas também ajudariam para que eu pudesse pesquisar e entender cada questão do tema”.

Muita coisa deveria ser definida, como as regras de elegibilidade. Junto aos heads da empresa, Marina foi trabalhando e fazendo as definições. “Aos poucos, eu via o projeto fluindo”, relembra.

Desafios para apresentar o programa Stock Options

Um dos grandes desafios para implementação do projeto foi justamente explicá-lo. Mineiro é um povo desconfiado e era preciso mostrar as vantagens e que o risco para a obtenção de Stock Options é muito baixo, quase zero. “Muita gente não entendia que era uma nova possibilidade de ter ganhos significativos com o crescimento da empresa”, relembra Marina. Outros temiam participar do programa com a falsa ideia de que seria um negócio arriscado.

Para esclarecer de vez este assunto, a gerente de Desenvolvimento Organizacional realizou apresentações presenciais e em vídeos onde explicava, educava e tirava dúvidas dos Rockers sobre cada detalhe do plano. Aos poucos ela mostrava que em outro canto da América havia muita gente ganhando dinheiro com isso.

“É um direito de comprar ações a um preço fixo e definido no momento da oferta. É simples, mas muita gente ainda faz confusão, por isso tivemos que fazer um grande trabalho educativo”, explica Marina. “Se a pessoa pensa que não vale a pena, ela não compra, ou não vende naquele momento. Quem adere ao nosso programa tem um prazo de 10 anos para exercer essa opção”, reforça.

Marina se esforçou em levar essa explicação para toda a empresa. De seus estudos e seus planos, transformou a informação em vídeos, conferências e materiais que foram amplamente divulgados na intranet da Rock.

Quando um Rocker vira Stock Option Holder

Segunda turma de Stock Options Holders da Rock Content reuniu mais de 40 colaboradores

Aqui na Rock Content, chamamos os colaboradores de Rockers. Foi para criar e manter o melhor time de rockers que o programa ganhou vida. Então, era hora de receber a inscrição deles.

Isso se fez por meio de um formulário que foi disponibilizado pela empresa. Entre os rockers inscritos, um dos primeiros contratados da Rock Content, Fabiano Cancela, especialista em Inteligência de Negócios, já estava na expectativa. “Materializar minha relação com a empresa na possibilidade de ser dono de um pedacinho dela é uma maneira de me lembrar que a empresa compartilha do seu sentimento de alguma maneira”, conta sobre a oportunidade.

Sobre Stock Options, Fabiano não demonstrou nenhuma preocupação. “Estou enfiado em conversa de startup já tem uns anos. Não sabia exatamente como a Rock implementaria o seu Stock Option Plan, mas conhecia em termos gerais o que significam todos os termos do contrato, como funciona, quais são os benefícios para a empresa e para o colaborador. Para quem está bem, quer continuar fazendo e acreditando no negócio é meio no-brainer. Muito a se ganhar, zero a se perder. Win-win!”. É o que estamos falando!

Já para Lívia Chaves, especialista em Produção de Conteúdo, há quase três anos na Rock Content, o aprendizado veio com as aulas que Marina ofereceu sobre o assunto. “É um mundo mágico e misterioso para mim, sou o estereótipo da “pessoa de humanas”, mas aprendi o suficiente para saber que pode ser muito vantajoso”, comemora a nova stock option holder da Rock!

Diego Gomes, nosso CEO, conta que se surpreendeu com as histórias contadas nos formulários.”Os Rockers têm histórias bem bacanas. Tem gente que começou como estagiário e virou diretor. Tem gente que é super especialista numa coisa e quer continuar brilhando naquela área. Pessoas que trazem resultados bacanas, de forma consistente para a empresa por muito tempo. Também vi muitas histórias legais de gente que coloca os interesses da equipe e dos clientes acima dos próprios. Essas são as pessoas que queremos como sócios”.

A história mais surpreendente, no entanto, talvez seja da própria Marina Mascarenhas, que começou na Rock Content como estagiária, que não entendia nada sobre o universo de ações e hoje é a referência no assunto e gerente de Desenvolvimento Organizacional na empresa. Hoje, com frequência ela recebe pedidos de ajuda e dúvidas de empresas que querem fazer algo parecido para valorizarem sua equipe.

Ao receber seu kit de boas-vindas ao programa Stock Options da Rock, Marina não conteve a empolgação. “Agora o kit fica na porta da minha casa, toda visita que chega lá tem que perguntar para eu poder explicar”, comemora!

E por falar em kit de boas-vindas…

Kit Stock Option Holder Rock Content
Kit entregue a cada Stock Option Holder tem camiseta especial, placa assinada pelo CEO e caneta

A Rock quis ir além de oferecer uma oportunidade para os rockers. “Nos preocupamos em tornar a experiência memorável e por isso criamos um kit de boas-vindas para os futuros sócios”, relembra Diego.

O kit é um pequeno mimo oferecido pela equipe idealizadora do programa. Cada um dos mais de 45 stock option holders recebeu uma caixa com caneta, placa, camiseta e adesivos. Mas não pense que são brindes comuns!

A camiseta, por exemplo, tem uma ilustração que simula um gráfico Bovespa com as ações da Rock Content nas alturas, o que levaria qualquer dos seus holders ao delírio. Situação que não é difícil de imaginar! “Segundo rumores, nos próximos kits, a empresa planeja mudar para um gráfico da Nasdaq ou NYSE”, brinca Diego. É nessa empresa visionária que seus rockers querem apostar. Você também não apostaria?

Essa história ainda vai dar muito o que falar. Compartilhe nas redes sociais, ajude seus amigos a entenderem os benefícios do programa e mostre inclusive para a concorrência que você já se ligou nestes assuntos. Não tem problema se quiserem copiar, neste plano aqui, só perde quem fica de fora! Ah, e se quiser saber mais sobre o programa, não deixe de comentar. Caso queira um dia fazer parte da equipe mais Rocker do Brasil, não deixe de conferir nossas vagas abertas!

Conheça-a-Rock-ContentPowered by Rock Convert
Publicações relacionadas
Artigos

Nostalgia é tendência de mercado, não só um sentimento

Artigos

Customer Centricity e a redescoberta da roda

Artigos

EQI 2019: pesquisa avalia as informações das páginas de produtos no e-commerce

Artigos

Como posicionar a sua marca para se comunicar com micro e pequenos empreendendores